Musculação protetora para boxeadores
A partir de notas de Edward Laskowski
Diretor do Centro de Medicina Esportiva da Clínica Mayo



Os exercícios que ensinaremos serão uteis para se proteger principalmente a região cervical, que é quem tem de suportar os socos que recebemos na cabeça. Estando ela devidamente fortificada, o boxeador terá minimizada suas possibilidades de lesões dos nervos na região.

Os sintomas clássicos de lesão nos nervos cervicais são as sensações de queimadura e de "agulhadas" nos braços ou no pescoço. Em casos mais graves, pode-se sentir amortecimento e fraqueza nos braços. Além de serem sensações desagradáveis, isso é indicação de que lesões mais graves poderão se seguir a menos que tomemos precauções. De qualquer modo, o melhor é precaver do que remediar e é sobre a prevensão que insistiremos aqui.

Na luta entre Mike Tyson e Golota, o polonês recebeu um soco na cabeça que lhe provocou o rompimento de um disco na parte cervical da coluna. Golota teve o bom senso de desistir do combate, apesar da enorme vaia da torcida. Os exames radiográficos posteriores à luta mostraram que sua aparente covardia salvou sua vida. Essa luta também serviu para mostrar que combates entre pesos pesados de muita diferença física ou técnica são especialmente perigosos.

Contudo, também é importante observarmos que não são apenas socos fortes que podem provocar lesões na região cervical. Se um boxeador tiver má postura, ele terá um desbalanço muscular que irá gradativamente destruir sua coluna, a ponto de poder sofrer lesão na região cervical ou lombar mesmo com socos fracos ou exercitando-se no saco de pancadas.

Assim que é importante que o boxeador procure sempre, principalmente fora do ringue, uma postura correta, com ombros para trás e peito para frente. Essa boa postura fica fácil de ser atingida e mantida se tivermos um bom balanceamento muscular, especialmente alongando os músculos do peito e do pescoço, e fortalecendo os músculos dos ombros e de cima das costas. Isso pode ser conseguido através dos exercícios que serão mostrados abaixo.

Antes do início dos exercícios, não se esqueça de fazer um aquecimento dos músculos do pescoço. Para isso, basta deslocar várias vezes e gentilmente o pescoço em movimentos laterias e depois para frente e para trás.

Fortalecimento da parte traseira das costas

Faremos três séries de exercícios:

Na primeira série de exercícios, mantenha as costas em linha reta vertical e os ombros alinhados na horizontal:


Nesta segunda série, mantenha a abertura dos braços um pouco maior do que a dos ombros e esses sempre na horizontal. Segure a barra levemente e desça-a até a altura do peito. Esse exercício só deve ser feito com a barra na frente de seu rosto; fazer esse exercício com a barra pelas costas será prejudicial ao boxeador, pois que carrega a região cervical que é muito castigada na prática de nosso esporte.


A terceira série deve ser feita como mostra a figura abaixo. Na falta da bancada, pode ser feita de pé desde que o atleta curve-se para baixo.


Fortalecimento da parte superior dos ombros

Nesta série é importante que a barra seja segurada sempre com a palma das mãos para baixo . A abertura dos braços deve ser um pouco maior do que a largura de seu corpo e suas costas devem estar um pouco curvadas para trás, como mostra a figura. O movimento que V. deve fazer é o de erguer a barra usando a força dos ombros, e não a dos braços.


Fortalecimento dos peitorais

Nesta última série, observe que Você irá empurrando uma mão a frente e depois empurra a outra, sucessivamente. Este exercício não contribui diretamente no fortalecimento da cervical, mas atua decisivamente nos peitorais e com isso contribui na melhora da postura do atleta.




AGRADECIMENTOS:
ao Júlio D'Ávila "Bolacha" por várias sugestões e correções no texto original.


Figuras: © 1996, por Terry Boles.
Texto: © 2003, 2002 e 2001, pela Fed. Rio-Grandense de Pugilismo.
Permitida a reprodução, desde que com fins não comerciais e seja citada a autoria.
Art. 299 do Código Penal Brasileiro ( Crime de Falsidade Ideológica ):
Omitir, em documento público ou particular, declaração que dele devia constar ou
nele fazer inserir declaração falsa ou diversa da que devia ser descrita
.