Como ser um BO ( Boxeador Otário )



Aqui, veremos o que fazer para diminuir resistência, força e outras qualidades que afetam decisivamente o desempenho do boxeador. Também aprenderemos os modos mais seguros e rápidos de se enfraquecer o sistema imunulógico e assim se pegar resfriados e outras doenças que anularão o trabalho de semanas de treinamento. Não menos importante, as "dicas" que se seguem farão com que V. tenha um desgaste físico muito maior e envelheça mais rapidamente, tendo assim uma vida atlética bem curta.

O BO dorme pouco

É durante o sono que nosso organismo procura recuperar o desgaste e restaurar as lesões que sofreu durante o dia. Como o treinamento de boxe produz muito desgaste e muitas micro lesões, é essencial que o boxeador durma mais do que uma pessoa normal. O boxeador que não dormir de 8 a 9 horas diariamente certamente terá seu desempenho sensivelmente diminuído.

Outra muito importante função do sono - mais precisamente, do sono profundo, aquele que nos faz sonhar - é a produção de hormônio do crescimento. Nos adultos, o hormônio do crescimento comanda o crescimento e restauração dos músculos magros, bem como colabora decisivamente na eliminação da gordura. Para atingirmos o sono profundo é importante dormirmos sem interrupções, em ambiente escuro e silencioso.

Quem dorme pouco, ou dorme com frequentes interrupções, sofrerá uma sensível diminuição de testosterona. A testosterona é um hormônio cujo nome vem da palavra testículo, ou seja: a testosterona é um hormônio masculino, comandando o crescimento dos músculos e ativando o sistema imunológico. Fraqueza muscular e pouca resistência à doenças são sintomas decorrentes de nível baixo de testosterona.

O BO treina o mais que pode

Pessoas leigas em fisiologia acham que se um pouco de treino melhora então muito treino melhora ainda mais. O exemplo mais conhecido de atleta que treina demasiado é o jogador profissional de futebol, tipicamente considerado como um velho já aos trinta anos de idade. Isso faz desconfiar que o conselho de treinar incessante e intensamente seja mais um conselho para BO.

Nas últimas décadas, se descobriu que todo treinamento produz substâncias, chamadas oxidantes, nocivas ao organismo e que precisam ser eliminadas o mais rapidamente possível, antes que produzam destruição e envelhecimento de nossos músculos e orgãos internos. Um atleta que treina ou compete diariamente fica com muito pouco tempo para eliminar esses oxidantes. Do mesmo modo, o atleta que faz treinos pesados está gerando grandes quantidades de oxidantes e isso requer um tempo maior para sua eliminação.

Consequentemente, quem treina todos os dias da semana ou sempre treina fortemente, ou mesmo faz as duas loucuras, está impedindo seu organismo de se recuperar e sofrerá vários problemas: rápido envelhecimento, frequentes lesões, etc. Todo boxeador que não deseja passar para a categoria dos BO deve ter uma conversa com seu treinador e o médico de sua academia para estabelecer um programa anual de treinos bem como lhe ajudar a escolher suplementos alimentares que sirvam como anti-oxidantes.

O BO fuma

Hoje, todo o mundo sabe que o cigarro produz câncer de pulmão e outros males que terão efeito somente a longo prazo. Não é sobre isso que vamos falar aqui. Nossa preocupação é com os efeitos atuais do cigarro no desempenho do boxeador.

O cigarro prejudica a capacidade de seu pulmão absorver oxigênio e isso resulta numa óbvia diminuição do fôlego, resistência e capacidade de competir adequadamente num esporte de alto desempenho como é o caso do boxe olímpico.

O cigarro também produz problemas menos visíveis. Ele produz grande quantidade de oxidantes que diminuem a eficácia dos alimentos e que reduzem a potência do sistema imunológico. Isso faz com que o fumante fique fraco e mais sujeito a pegar resfriados e outras doenças que prejudicarão seu treino e desempenho.

O BO usa maconha

É já bastante sabido que a maconha desmotiva as pessoas e não é compatível com a disciplina exigida de um praticante do boxe. Contudo, esse não é o maior problema que ela provoca.

Nas primeiras horas depois de uma pessoa fumar um cigarro de maconha, a mesma fica com sua capacidade de julgar distâncias severamente prejudicada. Dito isso, fica fácil qualquer um imaginar o poder de esquiva que terá um boxeador que fumou maconha pouco antes de um treino ou luta.

Outro grave problema da maconha é que basta um mísero cigarro para que nas próximas 24 a 48 horas seu organismo sofra uma grande redução da testosterona ( o hormônio masculino do qual já falamos acima ) e aumento do estrogênio ( o principal hormônio feminino ). Os resultados são a perda de força, aumento de gordura e diminuição na capacidade do organismo se recuperar dos efeitos do treinamento.

O BO bebe álcool

O álcool é transformado em gordura e, além disso, esse processo de transformação gasta nutrientes - como é o caso das importantes vitaminas do complexo B - que poderiam ter um uso muito importante na recuperação e descanso do atleta.

Além disso, nas primeiras horas depois da ingestão de bebida alcoólica, a coordenação motora da pessoa fica prejudicada. Quem bebe diariamente tem grande possibilidade de estar desidratado, e então enfraquecido muscularmente.


Texto: © 2001, pela Fed. Rio-Grandense de Pugilismo.
Permitida a reprodução, desde que com fins não comerciais e seja citada a autoria.
Art. 299 do Código Penal Brasileiro ( Crime de Falsidade Ideológica ):
Omitir, em documento público ou particular, declaração que dele devia constar ou
nele fazer inserir declaração falsa ou diversa da que devia ser descrita
.