O boxe clandestino no Brasil.

 
 


 
Tipos de boxe ilegal:

As modernas associações de boxe somente permitem lutar profissionais licenciados, e as mais conceituadas delas só dão e mantém a licença para pugilistas que passam por exames médicos periódicos (tais como tomografia cerebral) e também tem ficha policial impecável. Algumas dessas associações, como tem sido o caso da Confederação Brasileira de Boxe, denunciam qualquer evento onde haja participação de boxeadores não-licenciados.
Contudo, desde muito tempo, vivendo à margem do controle das associações temos o boxe não-licenciado e o boxe clandestino (ou ilegal). O que alimenta essas práticas são as apostas entre os membros do público.

O boxe não-licenciado
tem seus eventos realizados em locais públicos e tendem a ser tolerados pela polícia de alguns países (como a Inglaterra e USA) desde que tenham organizadores identificados, as lutas sejam realizadas em ringue, os boxeadores usem luvas e existam algumas regras. Não é nada raro, contudo, que na hora da luta os organizadores "não consigam achar as luvas" e que os lutadores acabem "esquecendo-se das regras" no calor do combate.

No respeitado York Hall, na cidade de Londres, frequentemente são realizadas lutas desse tipo envolvendo brigões de rua ou pugilistas profissionais que por várias razões perderam sua licença (por falta grave, aposentadoria, impedimento médico etc).

Um outro exemplo de prática bem conhecida de boxe não-licenciado é o praticado pelos ciganos (ingleses, galeses e irlandeses). Eles costumam se apresentar em feiras que organizam ou participam anualmente, como a de Cambridge e a Feira da Primavera em Scarborough. Recentemente, durante as corridas de cavalo no famoso Derby Day em Epson Downs, foi realizada uma luta sem luvas entre ciganos que atraiu imensa multidão enquanto que a rainha via as corridas no local.

O boxe clandestino
é realizado secretamente, escondido da polícia e associações de boxe; sua divulgação é feita por "propaganda de boca" e o local das lutas tipicamente só é revelado algumas horas antes. Tem natureza mafiosa e é tipicamente praticado por brigões de rua e boxeadores profissionais que perderam a licença. Nunca se usa luvas e as lutas são de dois tipos:
  • straightener
    que é praticamente uma briga de rua onde são permitidos apenas socos
  • all-in
    onde vale qualquer coisa, mesmo morder, dar joelhadas, enfiar dedos nos olhos e assim por diante
Tipicamente se exige que os espectadores façam uma aposta mínima, algo em torno de 100 libras ou 200 dólares. Os principais centros dessa modalidade são Londres e Nova Iorque, sendo que só recentemente chegaram ao Brasil, conforme veremos abaixo.



 
O boxe clandestino no Brasil.

Iniciou a se espalhar desde a cidade de São Paulo, a partir dos filmes Clube da Luta (1999) e Snatch, Porcos e Diamantes (2000), estrelados por Brad Pitt. Isso fez com que a prefeita de São Paulo, Martha Suplicy, sancionasse a lei 13.233 de 2001, que tornou proibidas as lutas envolvendo apostas em dinheiro. Como consequência, os participantes desses espetáculos clandestinos e ilegais passaram a realizar seus eventos em cidades do interior de São Paulo e Minas Gerais.

Segundo investigação do jornalista Suellen Ceschin, nessas pequenas cidades o evento é realizado sob a cobertura de um pretenso congresso de artes marciais, frequentemente com o aval das respectivas prefeituras. Esse mesmo jornalista já compareceu a torneios clandestinos onde o total das apostas foi a mais de 200 000 reais, dos quais a metade disso vai para os que acertaram no "lutador" vencedor, cerca de um terço fica com esse vencedor e o restante do dinheiro fica com os organizadores e acertadores do segundo e terceiro colocados do torneio.

Como ocorre em todo evento mafioso, o total das apostas é escondido dos vencedores, de modo que a "renda" típica de um tal "lutador" dificilmente passa dos 2 000 reais mensais. Contudo, para muitos, essa quantia parece ser tentadora, apesar das lesões graves e até mortes já registradas.



 
A lei e o boxe clandestino no Brasil.

  • eventos de lutas clandestinas são enquadrados na categoria das lesões corporais
  • se numa luta desse tipo houver traumatismo ou morte, os responsáveis são presos e só poderão ser soltos mediante um habeas corpus
  • se a polícia conseguir pegar em flagrante os organizadores de um evento clandestino de lutas, os mesmos serão indiciados por formação de quadrilha.






© 2005, 2004, pela Fed. Rio-Grandense de Pugilismo
Art. 299 do Código Penal Brasileiro ( Crime de Falsidade Ideológica ):
Omitir, em documento público ou particular, declaração que dele devia constar ou
nele fazer inserir declaração falsa ou diversa da que devia ser descrita
.