Como eram feitas as lutas de boxe ?

A partir do boxe grego e boxe romano, e já na Era Cristã, desenvolveram-se varios tipos de boxe na Europa: o boxe inglês, o boxe francês (savate), o boxe italiano etc. Nossa preocupação aqui é apontar a variação das principais características do boxe inglês apenas e isso ao longo de cinco grandes etapas:
 
  • boxe vale-tudo:
    As mais antigas notícias que temos sobre a prática no boxe na Inglaterra datam do ano 870 dC, quando o rei Alfredo o introduziu como parte do treinamento de seu exército. A partir daí, o boxe evoluiu lentamente até se tornar uma tradicional diversão e motivo de apostas nas lutas na grande Feira de Southwark, em Londres, a partir do ano 1400.
    Entre 1550 e 1600 o boxe extravassou a Feira, tendo uma grande divulgação entre os ingleses, principalmente por causa das apostas. Em 1700, sua popularidade era tanta que eram realizadas lutas no Royal Theatre de Londres, bem como iniciavam a surgir as academias para o ensino do boxe.
     
  • boxe sob as Regras de Broughton:
    Em 1743, Jack Broughton convoca os boxeadores de Londres para uma reunião, da qual resultaram as primeiras regras escritas de boxe: as hoje chamadas Regras de Broughton. A luta se desenvolve em rounds (sem duração fixa) e esses iniciam somente com os dois boxeadores com os pés no scratch (um risco quadrado, desenhado no meio do ringue).
     
  • boxe sob as Regras de Londres:
    Em 1837 inicia o reinado da rainha Victoria. O mesmo levou a um puritanismo religioso que iniciou a perseguir todos os tipos de apostas, em particular as lutas de boxe. Procurando evitar que o boxe caisse na clandestinidade, em 1838, membros da Pugilistic Benevolent Association (PBA) escreveram as Regras de Londres (ou Rules of the London Prize Ring), que rapidamente se popularizam. Essas regras foram ampliadas em 1853 pela Pugilistic Association (foram chamadas de Revised Rules), e em 1866 novamente pela PBA (foram as New Rules).
     
  • boxe sob as Regras de Queensberry:
    Escritas em 1865, e publicadas em 1867, para os torneios de boxe amador em um clube de Londres, e portanto com uso obrigatório de luvas. Entre 1870 e 1890, essas regras acabaram sendo adotadas pelos profissionais, como um recurso para escapar da proibição das lutas sem luvas.
     
  • boxe sob as Regras Modernas:
    Com o surgimento dos clubes e associações de boxe, bem como a difusão da prática do boxe nas escolas inglêsas, foram aperfeiçoadas as Regras de Queensberry. Isso iniciou com o National Sporting Club, o qual, em 1891, introduziu a decisão por pontos.
No que segue, examinaremos as alterações das grandes características do boxe ao longo dessas cinco etapas.

O ringue

  • boxe vale-tudo:
    Normalmente o ringue era delimitado pelo público. As vezes era cercado por uma única corda. O piso usual era o chão.
  • boxe sob as Regras de Broughton:
    O ringue era fechado com cordas ou cerca de madeira. O piso podia ser tablado (elevado ou no chão), terra ou grama. O obrigatório era haver um quadrado de cerca de um metro de lado, riscado no meio do ringue: era o chamado scratch.
  • boxe sob as Regras de Londres:
    As regras exigiam ringue fechado por cerca de madeira e piso de grama; isso nem sempre era obedecido. O scratch continuava obrigatório.
  • boxe sob as Regras de Queensberry:
    Não existe mais o scratch e o ringue é cercado por cordas somente.
  • boxe sob as Regras Modernas:
    Idem.


Uso de luvas ou assemelhados

  • boxe vale-tudo:
    sem luvas; ao cair, muitos pegavam pedra e passavam a dar socos segurando-a.
  • boxe sob as Regras de Broughton:
    sem luvas; endureciam a pele das mãos mergulhando-as em salmoura e poções com cicuta e outras substâncias.
  • boxe sob as Regras de Londres:
    sem luvas, a não ser em lutas de exibição, como as muito importantes lutas realizadas na Fives Court e na Tennis Court, em Londres.
  • boxe sob as Regras de Queensberry:
    obrigatório usar luvas; nos primeiros tempos elas tinham cerca de duas onças e eram abertas na ponta dos dedos.
  • boxe sob as Regras Modernas:
    obrigatório usar luvas e o tamanho delas varia com a categoria de peso.


Categorias de peso

  • boxe vale-tudo:
    havia apenas um campeão, o qual sempre era um dos mais maiores e mais fortes lutadores.
  • boxe sob as Regras de Broughton:
    Lá pelo ano 1800 iniciam a aparecer lutadores que se dizem campeões dos pesos médios e leves.
  • boxe sob as Regras de Londres:
    As regras não mencionam categorias de pesos, mas lá por 1850 entre os pesos pesados e os leves passam a ser considerados os pesos médios e welters, inclusive em disputas de títulos. Contudo, não havia nenhuma regra escrita sobre isso.
  • boxe sob as Regras de Queensberry:
    As regras não falam em categorias. Extra-oficialmente, principalmente em torneios amadores em colégios e clubes, os lutadores são divididos em pesados, médios, welters e leves.
  • boxe sob as Regras Modernas:
    O National Sporting Club de Londres, a partir de 1910, implementou uma ampliação das Regras de Queensberry a qual, entre outras novidades, incluia a divisão dos boxeadores em oito categorias de peso, de pesados (mais de 75 Kg) até moscas (menos de 51 Kg). Até a metade do século, essa divisão teve aceitação geral. A partir daí iniciou uma enorme confusão, que ainda vigora.


Uso dos pés

  • boxe vale-tudo:
    usava-se os pés apenas para chutar o adversário caído, sendo que era comum o uso de botas pesadas (de vários Kg) e até ferradas
  • boxe sob as Regras de Broughton:
    proibe-se chutar o adversário caído; em compensação torna-se popular se jogar sobre as costelas do adversário no chão.
  • boxe sob as Regras de Londres:
    continua proibido chutar o adversário caído; lutava-se com um sapato leve e lá pelo ano 1850 começa-se a usar uma sapatilha. Permite-se usar sapatos com pregos sem cabeça, desde que com cerca de 1 cm de comprimento (o árbitro era obrigado a verificar).
  • boxe sob as Regras de Queensberry:
    além das proibições anteriores, fica proibido usar sapatos com pregos sem cabeça.
  • boxe sob as Regras Modernas:
    são mantidas todas as proibições anteriores.


Luta de agarramento

  • boxe vale-tudo:
    não se podia agarrar pelas pernas e pegar pelas roupas ou cinto; mas, eram permitidas as projeções com o uso do quadril; também eram comum as cabeçadas, os estrangulamentos, dedos nos olhos, arranhar com as unhas e segurar pelos cabelos.
  • boxe sob as Regras de Broughton:
    além dos recursos anteriores, os lutadores passam aproveitar o madeirame cercando o ringue para nele bater a cabeça do adversário.
  • boxe sob as Regras de Londres:
    proibem clara e explicitamente os agarramentos de qualquer tipo, bem com as projeções, cabeçadas, estrangulamentos, dedos nos olhos, arranhar com as unhas e segurar pelos cabelos; também fica proibido se jogar sobre o adversário caído; basicamente, os únicos tipos de golpe permitidos eram os socos e esses não podiam ser dados abaixo da cintura.
  • boxe sob as Regras de Queensberry:
    Somente clinchs são permitidos e o árbitro tem a função de imediatamente separar os lutadores.
  • boxe sob as Regras Modernas:
    Idem.


Recursos de recuperação e término das lutas

  • boxe vale-tudo:
    A luta terminava somente por absoluta incapacidade de um dos lutadores; não era permitido desistir. Excepcionalmente, podia se combinar que a luta terminaria no primeiro sangramento (first-blood).
  • boxe sob as Regras de Broughton:
    A luta é realizada em rounds, mas os mesmos não têm duração fixa: o round termina quando um dos lutadores vai ao chão, toca com o joelho no chão ou é jogado fora do ringue. Após isso, o lutador tinha meio minuto para chegar até o scratch (sozinho ou ajudado pelos segundos), caso contrário perdia a luta. Também se introduz a a possibilidade de desistência; a mesma podia ser feita pelo boxeador ou por seus segundos.
    Torna-se comum os lutadores usarem o expediente de colocar um joelho no chão para conseguir meio minuto para recuperar o fôlego ou desanuviar a cabeça. Isso fazia com que as lutas durassem dezenas de rounds.
  • boxe sob as Regras de Londres:
    Três principais novidades: o boxeador derrubado tinha de voltar ao scratch sozinho; devia fazer isso em até oito segundos depois da contagem do meio minuto; o boxeador que fosse ao chão sem receber soco podia ser desclassificado.
  • boxe sob as Regras de Queensberry:
    Rounds de duração fixa: 3 minutos, independentemente de eventuais quedas. O boxeador derrubado tinha de voltar a lutar até o fim da contagem de 10 segundos.
    O número de rounds era combinado previamente, mas até cerca de 1920 eram comuns as lutas até a decisão (ou seja: até nocaute, desistência ou interrupção pela polícia).
  • boxe sob as Regras Modernas:
    Na medida em que foram surgindo as associações de boxe, essas foram introduzindo modificações nas originais Regras de Queensberry. Consideramos como mudanças características desse período: a introdução da decisão por pontos e a contagem protetora. Mais recentemente, houve a delimitação do número de rounds em 12.


Mas, e o estilo de lutar ?

Sobre esse vasto tema, o leitor poderá consultar uma matéria específica, aqui neste site: Evolução do boxe com luvas.

Referências:

Este trabalho resulta de um paciente e minucioso estudo das versões originais das várias regras do boxe, bem como de gravuras e pinturas de lutas realizadas antigamente, como foi o caso das reproduzidas em:
- Nat Fleischer: A Pictorial History of Boxing..
   Secaucus, NJ: The Citadel Press, 1959.


Texto: © 2010, pela Fed. Rio-Grandense de Pugilismo.
Permitida a reprodução, desde que com fins não comerciais e seja citada a autoria.
Art. 299 do Código Penal Brasileiro ( Crime de Falsidade Ideológica ):
Omitir, em documento público ou particular, declaração que dele devia constar ou
nele fazer inserir declaração falsa ou diversa da que devia ser descrita
.