Estrelas do boxe olímpico

< Tr>

Teófilo STEVENSON




Principais títulos:

Seu maior feito foi ter sido tricampeão olímpico na categoria dos pesos pesados: ouro nas olimpíadas de Munich 72, Montreal 76 e Moscou 80. Também foi tricampeão MUNDIAL pela AIBA: 74, 78 e 86.

Em 1972 e 1980 foi eleito melhor desportista da América Latina. Recebeu o prêmio Jogo Limpo da UNESCO, bem como a Ordem Olímpica, por seu exemplar comportamento esportivo dentro e fora do ringue.

Lutas realizadas:

Encerrou sua carreira em 1988, quando tinha 36 anos. Ao longo de sua carreira de pugilista, toda ela dedicada ao boxe olímpico, realizou 275 lutas, vencendo 261. Em verdade, como ele próprio costumava dizer, perdeu suas 14 primeiras lutas e "apenas" essas.

Características como boxeador:

Tinha mão direita muito pesada e essa era aplicada com impressionante senso de oportunismo. Era muito rápido para sua categoria de peso, tinha uma técnica primorosa e movimentava-se no ringue muito elegantemente, sugerindo a leveza de um bailarino.

A par disso, sempre mostrou muita dignidade e cavalheirismo no ringue.

Alguns dados biográficos:

O nome completo era Teófilo Stevenson Lawrence. Nasceu num pequeno povoado da província cubana de Las Tunas, em 20 de março de 1952 e faleceu em 12 de junho de 2012, aos sessenta anos de idade, vitimado por um infarto do coração.

Aos treze anos foi convidado a sair de Las Tunas e ir estudar numa escola especial em La Habana, com o propósito de treinar boxe no complexo esportivo que o governo revolucionário cubano havia recém inaugurado.

Teve como principais treinadores: Chervonenko e Sagarra.

Sua primeira grande vitória ocorreu na Olimpíada de Munich 72 quando, superando os prognósticos desfavoráveis da crítica, venceu o norte-americano Duane Bobich. Incidentalmente, foi nessa olimpíada que a hegemononia do boxe amador passou das mãos dos estadunidenses para os cubanos. Outros notáveis adversários vencidos por Teo foram: John Tate, Tyrell Biggs, Piort Zaev. Em sua terra natal também teve de travar memoráveis duelos com Angel Milian, que por muitos anos foi sua permanente "sombra".

Por várias vezes foi tentado com propostas milionárias de empresários do boxe profissional dos USA. Entre essas ofertas estava uma de um milhão de dólares (na época, uma fortuna) para enfrentar o então famosíssimo campeão mundial dos pesos pesados profissionais, o legendário Muhammad Ali. Sempre as recusou, alegando que preferia a admiração dos oito milhões de cubanos. Isso lhe deu notoriedade internacional.
Depois de aposentado, ocupava-se sendo "herói cubano" e vice-presidente da Federación Cubana de Boxeo.

REFERÊNCIAS:
Várias matérias da imprensa cubana e a entrevista dada por Teófilo a Eugene Robinson do jornal Washington Post, em junho 10 de 2001.




© 2002-2012, pela Fed. Rio-Grandense de Pugilismo.
Permitida a reprodução, desde que com fins não comerciais e seja citada a autoria.
Art. 299 do Código Penal Brasileiro ( Crime de Falsidade Ideológica ):
Omitir, em documento público ou particular, declaração que dele devia constar ou
nele fazer inserir declaração falsa ou diversa da que devia ser descrita
.